segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A porta aberta

A porta se abriu. Eu a abri.
Depois de anos eu senti a hoje senti a necessidade de girar a chave. Eu me tranquei, eu sei. Me acostumei com a vida que eu fiz pra mim.
Mas eu senti a necessidade de abrir a porta. Senti a necessidade de me deixar povoar. 
Os traumas existiram e só agora eu assumo que devido à eles eu senti medo, medo do fim antes mesmo que houvesse um começo. Medo da dor, da repetição.
Mas agora... agora é como se o som lá de fora ficasse cada vez mais alto e convidativo. É como se esse meu mundo individual ficasse pequeno ao mesmo tempo que grande demais só para mim.
Eu ainda não tenho um rumo, não tenho um plano. Ainda não faço idéia que que caminho seguir...Sei que caminharei a passos de formigas e ainda desconfiarei se as pedras não estarão em falso.
Tudo ainda é incerto e nebuloso. Mas há algo que eu sei : que a porta se abriu de verdade e chegou a hora de caminhar.

1 comentários:

ludias_luana disse...

Gostei.

Postar um comentário